Agência de Noticias de Sergipe
CogerpMilitarPolícia CivilBombeiros
 
ico_s
Regulamento de Uniformes
banner_RU
separador
Código de Ética
Código de Ética
separador
Plano Estratégico
Plano Estrategico
separador
Entrar
separador
Serviços
separador
Editar página inicial
separador

CBMSE
Comissão conclui estudo para uso de drones pelo CBMSE
em 13/06/2018 13:21:34 (206 leituras)





Apresentação Comissão

A Comissão Para Estudo e Aplicação do Uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas (drones) no Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) reuniu-se na manhã desta quarta-feira (13), no quartel central de Aracaju/SE, com o subcomandante geral da corporação, coronel BM Gilfran Mateus, para apresentar o relatório de conclusão dos trabalhos. Criada em fevereiro deste ano e presidida pelo major BM Danilo Almeida, a comissão realizou quatro reuniões entre os meses de fevereiro e abril, avaliando a viabilidade legal do uso de drones em atividades do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o major Danilo, é preciso ter cadastro legal e atuar dentro do protocolo de acesso ao espaço aéreo, cumprindo requisitos necessários para operacionalizar o drone. “As legislações são de 2017 e 2018, Muita gente utiliza sem ter a mínima noção do risco que o uso indevido desse equipamento pode acarretar à aviação em geral. O voo de drone deve ser realizado distante, no mínimo, 30 metros de edificações e de concentração de pessoas. Por serem aeronaves, os drones têm que ter seus operadores tecnicamente designados como pilotos remotos”, explica.

O operador/piloto é considerado habilitado a operar um drone de até 25 kg, desde que possua cadastro no Sistema de Aeronaves não Tripuladas (SISANT), manual de voo, seguro válido, avaliação do risco, certificado da Anatel e protocolo SARPAS (Solicitação de Acesso de Aeronaves Remotamente Pilotadas). Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) mostram que há cerca de 39 mil pilotos remotos e drones cadastrados no Brasil, 14,8 mil drones de uso profissional e 36,5 mil drones de uso recreativo. Em Sergipe, são 331 pilotos remotos e drones cadastrados.

O uso de drones em missões de segurança pública está previsto na Circular de Informações Aeronáuticas (AIC) 24/2018 do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), tais como operações de busca terrestre e aquática, prevenção e combate a incêndios, gestão e execução das atividades de fiscalização. “Para iniciarmos a utilização dos drones no CBMSE, focaremos no monitoramento das praias, nos incêndios florestais, nas operações de buscas terrestres e aquáticas e perícias, podendo avançar para outras missões que se fizerem necessárias”, aponta o relatório da comissão.

A comissão sugere que seus seis membros façam um curso de operador de drone e que seja publicada, no âmbito da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), uma portaria regulamentando o uso de drones por bombeiros militares e policiais civis e militares. Foi sugerida também a aquisição do drone Splash 3 Auto, considerado o primeiro drone totalmente integrado e modular, à prova d'água, com câmera 4K e gimbal de 2 eixos, para tirar fotos de alta qualidade em torno da água e em todos os tipos de clima. O equipamento e seus acessórios custam 2 mil dólares.

No aspecto organizacional, a comissão recomenda que o CBMSE institua, no âmbito da nova Lei de Organização da corporação, a criação de uma Assessoria ou Grupamento de Aviação de Bombeiro Militar, ligada diretamente ao comandante geral e dividida em seções operacional, administrativa, de manutenção, de segurança de voo, de instrução, de infraestrutura, de asa fixa e de aeronave remotamente pilotada.

Para o coronel BM Gilfran Mateus, o estudo preliminar da comissão foi importante para que não se comece a trabalhar com drone sem se ter uma base legal, evitando problemas futuros. “A comissão foi montada para que a gente não comece o serviço sem todas as bases necessárias, sem todo um estudo que envolve legislação e o que é necessário para que um bombeiro militar possa operar um drone. A comissão foi criada em função da implantação do Sistema Único de Segurança Pública. O Ministério da Segurança Pública já está fazendo, junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), uma proposta de aquisição de alguns equipamentos pré-determinados para os estados, dentre eles os drones. O Corpo de Bombeiros está tentando viabilizar a aquisição de 3 ou 5 drones”.

O subcomandante diz ainda que, com a avaliação da comissão quanto ao tipo de equipamento adequado para as atividades dos bombeiros, será possível adquirir os drones e preparar as equipes. “Já existem drones mais modernos que fazem salvamentos na praia levando boias para as pessoas se afogando e drones que fazem combate a incêndios, levando em sua estrutura extintor para combater chamas em edifícios. Há uma vasta área de atuação com esses drones. A tendência é de que a tecnologia fique cada vez mais avançada e a tenhamos drone com capacidade de contribuir com nosso poder operacional. Este trabalho é uma proposta do CBMSE, mas que pode servir para toda estrutura da segurança pública”, ressalta.

Imprimir Enviar esta notícia por e-mail _NW_MAKEPDF
Pesquisa
separador
Boletim Online

Boletim Online

separador
Instrução Técnica
IT 45 2
separador
Concursos
Concursos
separador
Últimas notícias
separador


Política de Privacidade | Faq | Contatos


Copyright © 2003 by Segurança Pública  |  CNPJ 13.128.798/0031-19 Rua Siriri, 762 - Centro - Aracaju/SE - CEP: 49010-450  |  Design by Jenilson Gomes