4 de janeiro de 2021

Corpo de Bombeiros atende mais de 380 chamados de salvamento de animais em SE


A corporação recebe chamados de resgate pelo 193 e a Polícia Civil ressalta que maus-tratos aos animais é crime previsto em lei

Dentre as mais de 3.720 ocorrências de busca e salvamento registradas pelo Corpo de Bombeiros (CBM), estão 383 chamados para salvamento de animais. Os resgates envolvem desde animais domésticos, como cães e gatos, que se perderam, foram abandonados e se envolveram em situações de perigo, até espécimes silvestres, como raposas e jacarés, em áreas próximas às vegetações e lagoas, como a Zona de Expansão de Aracaju. O CBM também está de prontidão para atuar no salvamento desses animais tanto na capital, quanto no interior do estado. O número a ser chamado é o 193.

Diante dessa situação, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) faz o alerta em relação ao abandono e aos maus-tratos de animais, que é crime legitimado pelo artigo 32, da Lei Federal nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, a Lei de Crimes Ambientais, e pela Constituição Federal, de 5 de outubro de 1988. O tenente José Luís Santos Filho, do Corpo de Bombeiros, explicou que as ocorrências são recebidas pelo telefone 193 e, através do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), são repassadas às equipes do CBM, responsáveis pelo resgate dos animais.

“As ocorrências quando acontecem chegam via 193. A população nos aciona e vamos até o local. Os animais são os mais diversos, domésticos e selvagens. Os mais comuns são os felinos, os gatos, e depois entram outros animais como raposas, na área da zona expansão, e jacarés, no período chuvoso, quando as lagoas enchem e transbordam, sendo visualizados pela população”, ressaltou.

Animais domésticos

O tenente mencionou que, no tocante aos animais domésticos, também pode ser necessário o contato com o CBM para o resgate e salvamento. O Corpo de Bombeiros está preparado para atuar em situações que possam envolver animais com algum sinal de doença. “Em se tratando dos animais domésticos, nos cuidados, especificamente com os gatos: há o comportamento comum de um animal que anda muito e é fiel a sua residência. E muitos desses felinos acabam se perdendo e chegam em outros locais e as pessoas se assustam. Com relação aos felinos, é ter o cuidado de não se aproximar e, suspeitando de um comportamento de muita salivação ou de agressividade, ligar para o 193, para que os bombeiros atuem no resgate e na recuperação do animal”, detalhou.

Animais selvagens

O Corpo de Bombeiros alerta que, nos casos de aparecimento de animais silvestres, é primordial que não haja aproximação com o espécime encontrado e seja feito o contato com a corporação através do 193. “Quando é um animal selvagem, jacaré, cobra, raposa, a orientação é se afastar ao máximo, pois a reação é muito inesperada, diante do fato de estar em uma ambiente diferenciado, ele pode se sentir acuado, ameaçado. A chance de partir para agressão é muito grande. E também acionar o 193 para que os bombeiros estejam presentes e façam o salvamento deste animal”, evidenciou o tenente do CBM.

Abelhas

A corporação também faz o alerta sobre o aparecimento de abelhas, que são animais com um comportamento potencialmente agressivo e que podem gerar ferimentos às pessoas. “As abelhas têm um período muito específico de grande incidência de ocorrência, que é o que conhecemos como migratório desses enxames, que vêm do sertão para o litoral, e entre os meses de novembro a fevereiro há grande incidência nas residências. É importante o cuidado de evitar qualquer ação de tentar capturar e tirar esse animal do ambiente, pois o poder de agressividade é muito grande”, relembrou.

Resgate e legislação

Com o acionamento feito ao 193 e a conclusão do resgate dos animais, eles são encaminhados às instituições responsáveis, que estão preparadas para o acolhimento e  tratamento dos espécimes resgatados pela corporação. “Os animais selvagens são encaminhados aos órgãos competentes. É feito o acionamento para que esses órgãos façam a destinação desses animais. As abelhas são encaminhadas aos apicultores. Os animais domésticos são encaminhados aos proprietários ou às Organizações não Governamentais (ONGs), que recebem esses animais”, informou o tenente.

A coordenadora das delegacias da capital, delegada Rosana Freitas, enfatizou a alteração na legislação referente aos maus-tratos contra os animais. “Recentemente, tivemos uma alteração legislativa que ensejou o aumento da pena do crime relativo a maus-tratos de animais. O aumento dessa demanda tem exigido da SSP uma atuação mais firme a esse tipo de conduta. Então, estaremos criando uma delegacia que vai tratar, única e exclusivamente, dos crimes ambientais, dentre eles os maus-tratos aos animais”, reiterou. 

Rosana Freitas também orientou sobre a importância da denúncia para o combate aos crimes praticados contra os animais em Sergipe. “O cidadão que presenciar ou tiver conhecimento de alguma ação de maus-tratos aos animais deve fazer o uso do Disque-Denúncia, através do 181. A identidade será mantida em sigilo e a denúncia será encaminhada para a delegacia. A pessoa também pode procurar uma unidade da Polícia Civil e fazer o registro presencial para que as providências sejam adotadas”, pontuou.

Fonte: Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP)


Site desenvolvido pela Emgetis com software livre - WordPress

O Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) vem a público informar à população que a instituição não solicita via e-mail dados pessoais nem pagamentos de taxa. Caso algum e-mail nesse sentido seja recebido, alertamos que se trata de um golpe que está sendo aplicado em alguns Estados, com o intuito de extorquir os cidadãos, conseguir dados e realizar pagamentos. Orientamos a população a procurar a Polícia Civil e registrar o Boletim de Ocorrência.